24 novembro 2011

Fazer ou não fazer greve?



                Indignado e em greve estou, contra as medidas de austeridade, contra a inúmeras injustiças socias, contra os corruptos que não são presos, contra os bancários que nos assaltam, contra as televisões que nos empobrecem o espirito e até estou indignado contra um galo que canto uma hora antes de acordar. Pois, mas  isto já não há volta a dar .
                Infelizmente, já está em queda a civilização ocidental. A industrialização já  não produz empregos suficientes ; o capitalismo cresceu tanto fazendo desaparecer o dinheiro, distribuí-lo agora justamente é impossível. A globalização neoliberal acabará por reclamar para as grandes  empresas o resto dos recursos através do consumismo desenfreado . As democracias europeias estão a definhar nas mãos dos bancos, a representatividade e o pluralismo dos povos nas Assembleias não existem
                Resta-nos preparar as próximas geração para sobreviverem.
                E ainda  resta para alguns a utopia 

7 comentários:

Bella disse...

Estou contigo... Indignada e em greve:(

Catarina Reis disse...

Um forma inteligente e real de ver a questão, concordo contigo, infelizmente não podemos viver de utopias. Beijos

disse...

Estou perplexo e extremamente grato por me seguir no meu humilde espaço de desabafos. Concordo e subscrevo tudo o que diz até na necessidade de manter viva a utopia. Hei-se voltar para ver tudo mais em pormenor.
Grande abraço

Rogério Pereira disse...

Triste coincidência a dos grevistas e as agências de rating: as medidas que estão seguidas são lixo. Mas há uma diferença abismal. Os candongueiros do dinheiro, querem mais empobrecimento. Os grevistas querem a mudança do paradigma. A luta continua...

Fê-blue bird disse...

Meu amigo resta-nos lutar, por nós e principalmente pelos nosso filhos!
Neste curto texto disse tudo!!

beijinhos

ALUISIO CAVALCANTE JR disse...

Olá.

A greve
é na minha opinião,
um grito de esperança,
aos que fecham
os olhos diante
dos sonhos,
que um dia prometeram
cuidar.

Sucesso e esperança
independente do resultado
imediato da greve.

Que a alegria
faça folia
em teu coração.

Canto da Boca disse...

Subscrevo e solidarizo-me!

E se achares por bem, podemos conclamar os trabalhadores e as trabalhadoras e reescrevermos o Manifesto Comunista: "desempregados do mundo inteiro, uni-vos, pois já não é meramente um espectro que ronda a Europa (e o mundo), mas uma dura e cruel realidade, acabaram-se os empregos, a esperança, o respeito, a utopia, a vergonha na cara, e sobram políticos, roubalheiras para todos os gostos..."