29 maio 2010

actualmente em exibição na Manjedoura

Pepino

Maracujá

28 maio 2010

Selecção Vuvuzela

No meio deste estado social em crise, a comunicação social e sobretudo a televisão, cuja a morte já está anunciada pela INTERNET, no seu papel de entreter o povo vem agora com as novelas da selecção nacional, com directos, com especiais, com publicidade, com músicas e com outras tretas. Pois, antes de começar o mundial já estou farto da selecção nacional. Digo mais, quero lá saber se o Miguel Veloso jogo a Playstation, se o quarto dos jogadores é verde ou branco, se comem bacalhau ou couves, se o treinador joga bilhar ou se o Simão toca vuvuzela.
 Eu quero saber é se a equipa joga à bola e dignifica a Selecção.


Depois, em tempo de sacrifícios quanto gasta a selecção neste Mundial? (com as estrelas que a selecção tem devem de tirar lucros.)

Com estas palhaçadas da televisão, será que o poder enconomico-politico prepara-se para roubar mais ao povo enquanto este está entretido com a selecção?

21 maio 2010

Caminhamos para um período da história muito complicado e inevitável.

É irreversível a decadência da civilização ocidental, pois o capitalismo tornou-se insustentável e inconsistente e o emprego industrializado já não é humanamente justificável. Caminhamos para um período da história muito complicado e inevitável.


Repare-se que a sociedade construído desde o berço, tendo por base a revolução industrial em que prepara-se o bebé para desempenhar um emprego, sim porque na realidade as nossas crianças têm um horário laboral pior do que o dos adultos e desde o infantário. O mercado de trabalho e a montanha do capitalismo industrializado aumentará o desemprego, embora os políticos criem empregos oxigenados muito deles insustentáveis, o emprego vai aumentar. Enquanto não houver uma mudança de perspectiva profunda e geral, todo se vai agravar.



A mudança passa pela regeneração sociocultural global, equitativa e gradual da civilização.

- Na educação: Uma Escola Inclusiva Fardada

- Garantia da saúde gratuita por parte do estado a toda a população, evitando a especulação das clínicas privadas e a industria farmacêutica ( as listas de espera nos hospitais público servem para chamar as pessoas para o privado).

- Sistema de justiça tem de ser levado a tribunal - a magistratura colocada dentro da lei.

- Retirar privilégios e protocolos a determinadas classes sociais, sobretudo aos políticos, retirar imunidades e esbanjamentos protocolares.

- Sistema económico-financeiro transparente e justo.

- Ridicularizar conceitos de fama, VIPs e outras manias sócias parvas e insufláveis.

- implementar e valorizar conceitos de rigor, de respeito e de consciência cívica;

- ancorar a sociedade no valor da vida humana;

- redefinir valores históricos e genuínos do povo.

Mudanças que devem ser alinhavadas como um tudo e por todos

19 maio 2010

a theoria definitiva da existencia de Eça de Queirós

      Independentemente do atraso em relação à Europa ou o facto de estarmos na cauda da Europa , embora o desenvolvimento técnico do país , a sociedade portuguesa ainda continua no século XIX. Por fora desenvolvemos muito, até mais do que as nossas possibilidades, mas por dentro ainda não regeneramos.
     Nas últimas páginas do livro, Os Maias, Eça de Queirós descreve duas amigos, Egas e Carlos, a correrem para apanharem o “americano”, enquanto concordavam que não valia a pena correr para nada. Esta contradição ou ironia, em que enquanto corremos diz-se que não vale a pena correr para nada, passa-se na actualidade cheia de desilusão, parece que não serve de nada criticar, não vale muito tentar melhorar, fazer um esforço para construir uma sociedade melhor.
      Quantas vezes verifica-se que as criticas e ideias diferentes caem em saco fundo, os erros apontados não têm consequências, fica todo na mesma. Entrou-se numa pasmaceira ideológica da paz social, onde todos apontam defeitos, erros e não se corrige nada. Não vale a pena correr para nada. Para que apontar os erros na educação se ninguém os corrige, apontar para lacunas no futebol e fica todo na mesma, e na política que serve apontar que o rei vai nu, se ele não se emenda e outros e demais assuntos nacionais, regionais e mesmo locais que não vale a pena correr.

(…)



“- Que raiva ter esquecido o paiosinho! Emfim, acabou-se. Ao menos assentamos a theoria


definitiva da existencia. Com effeito, não vale a pena fazer um esforço, correr com ancia para


coisa alguma...


Ega, ao lado, ajuntava, offegante, atirando as pernas magras:


- Nem para o amor, nem para a gloria, nem para o dinheiro, nem para o poder...


A lanterna vermelha do «americano», ao longe, no escuro, parára. E foi em Carlos e em


João da Ega uma esperança, outro esforço:


- Ainda o apanhamos!


- Ainda o apanhamos!


De novo a lanterna deslisou, e fugiu. Então, para apanhar o «americano», os dois amigos


romperam a correr desesperadamente pela rampa de Santos e pelo Aterro, sob a primeira


claridade do luar que subia."

 In Os Maias de Eça de Queirós

18 maio 2010

recebi um prémio


Este magnífico Prémio - trata-se de um reconhecimento dos valores que cada blogueiro emprega, ao transmitir valores culturais, éticos, literários, pessoais, etc. - Posto isto tenho que agradecer à Helga, UM OBRIGADO.

A única regra deste selo, é distinguir 15 outros blogues.


Os meus convocados, segundo

os critérios deste selo, são:

16 maio 2010

é a vida...

E a vida é assim,


Um castelo de cartas


Que tem destas partidas


Desmorona-se


Num leve sopro






zj

13 maio 2010

- Ainda mais… e sempre eu, sempre eu…

-Tens de fazer sacrifícios:


- Ainda mais… e sempre eu, sempre eu…

Os políticos portugueses ( Bloco Central : ppd e ps) aproveitam o momento em que o povo está em peregrinação, a receber o Papa e a rezar, para aumentar os impostas. Parecem ladrões que se aproveitam da distracção para roubar.

Em Portugal enquanto o povo reza, o governo prepara-se para roubar.

04 maio 2010

Quatro bancos privados lucram quatro milhões por dia

Quatro bancos privados lucram quatro milhões por dia. (Clica aqui) Em tempo de crise lucram isto e imaginem agora em bancarrota, duplicam os lucros.

ou vai por aqui : http://dn.sapo.pt/bolsa/interior.aspx?content_id=1560089

01 maio 2010

Enquanto termina Abril e começa Maio

       Portugal governado por crianças mimadas e esbanjadoras que brincam com brinquedos caros: TGV, Aeroportos, Pontes, auto-estradas, submarinos ( falta porta-aviões), enquanto o povo pávido e sereno padece com impostos, contas e mais contas, com a fraca qualidade da educação, esperando por melhor saúde , esperando por empregos e melhores salários.
       Caminhamos inevitavelmente ou propositadamente no caminho da Grécia, porque acho que é a única maneira de salvar economicamente o país e financiar estes novos brinquedos –pois  a Grécia irá receber milhões e milhões de ajudas. E no caminho da bancarrota os grandes já estão salvaguardados mesmo a nível judiciário. Tal como a gripe A que deixando de falar, ela desapareceu, a crise convém continuar a falar e de uma forma cada vez mais grave e catastrófica.