21 março 2011

PEC IV

      E estava eu num fim-de-semana de repouso e de recarga de energia, onde o coitado do sofá paciente e grande amigo nos deixa adormecer, resolvi acender a televisão para ver as notícias, deparei-me com a crise política do PEC IV. Embora mudasse de canal lá estávamos nossos políticos a falar da crise e tal era o zumbido que já havia na minha cabeça que desliguei a televisão. Liguei o carro e ao som de música por mim seleccionada, dirigi-me até ao Bar com amigos para ler o diário e tomar o café. Quando entrei no bar estavam os mesmos a falar na televisão sobre a crise política.

     Se o PEC IV não passar na assembleia, terá de haver mais eleições. A oposição com firmeza dizia em tom já eleitoralista que iam chumbar o tal documento. Falava-se do PEC feito Já pela Alemanha. Politico, analista, comentaristas e economistas a transmitirem cenários de extrema dificuldade para os portugueses.
     Era tal o zumbido que me fez lembrar o mundial de 2010 e fez-me pensar.
     Perante esta crise e sabendo o povo que os políticos são o verdadeiro problema para Portugal e não a solução, eu já não convocava o FMI, mas sim pedia uma intervenção da NATO. O que estes partidos políticos estão a fazer ao povo português é um autêntico massacre. Um ataque militar cirúrgico, às quatro da manha, através de mísseis lançados por um submarino americano para os seguintes alvos: sede dos partidos políticos e órgãos de televisão, seria a solução.

Nota: se ficasse algum míssil podiam mandar para algum banco ou empresa publico-privada.

3 comentários:

Catarina Reis disse...

Bem visto eu também concordo. Bjs

FMF disse...

Só um reparo: será que os políticos pensam que o verdadeiro problema do país é o povo? Pelo que fazem estou em crer que sim...

Abraço,

Fê-blue bird disse...

Estava tudo resolvido e muito bem, conte comigo para assinar esta resolução ;)

Bjs