14 fevereiro 2011

a imaginação - Montaigne

Parei na página 55 dos Ensaios de Montaigne


Fortis imaginato generat casum (uma imaginação robusta produz os acontecimentos)

“ A impressão da minha fantasia afecta-me e ponho todo o esmero e cuidado em fugir-lhe, por carecer de forças para resistir ao seu fluxo”

“ Não me parece extraordinário que a imaginação, só por sim, produza febres e morte naqueles que não sabem contê-la. “

Até onde pode a imaginação nos levar, quantas e quantas coisas podemos imaginar ficção ou realidade, do perverso ao sensato, quais são os limites do imaginário. Mais do que o sonho de Gedeão, mais do que a arte de Picasso, mais do que super-homens e homens aranhas , a nossa imaginação supera-os a todos. Guardados nos nosso segredos, temos imaginado e continuamos a imaginar coisas que nem lembra a ninguém.

A imaginação é um mundo infinito onde todos é possível, em que por vezes temos de fugir e conter.

Bem tenho de ir trabalhar…

6 comentários:

FMF disse...

Por acaso até sou um bocado dotado nessa área. Quantas vezes tenho de me impôr para descer à realidade. De qualquer maneira, prefiro ter a não ter. Sinto-me um bocado sortude. :)

Tulipa disse...

Não há limites para a nossa imaginação, vale tudo. Assim como não há limites para o que desejamos, bom mesmo é juntar os dois :)

Catarina Reis disse...

A imaginação é mesmo o que temos de melhor. beijos

Fê-blue bird disse...

Se não fosse a imaginação acho que morreria de tédio ;)
Claro que trabalhar tira-nos de imediato a imaginação ;))

beijinhos e bom fim de semana

Janita disse...

Penso que o teu trabalho não se estende plo fim-de-semana...
pois então, que o passes muito feliz!

Áh... a imaginação...é deixar voar
o pensamento! Tão alto... que quando regresso, a rotina é um verdadeiro tormento.

Abraço
Janita

polittikus disse...

Sou um experte nesta área, ando constantemente de cabeça sei l´
a onde...