08 abril 2010

- Afinal o “Gato escaldado não tem medo de água fria”.

               Tomando caminho pela via expresso e depois pela via rápida, do norte da ilha coloquei-me rápido e facilmente no Funchal, percorrendo boas estradas e com boa sinalização. Saí da via rápida na saída para o hospital e apanhando a nova estrada, cheguei ao estacionamento do 2000, onde parei o carro no último piso, não porque tive medo de inundações, mas porque não encontrei outro lugar. Desci pelas escadas porque o elevador estava avariado e é também um bom exercício físico. Para os idosos e outras pessoas com dificuldades de mobilização deve ser mais difícil. Depois cheguei à quase reconstruída rotunda junto ao Dolce Vita e, olhando para o pouco que se via da ribeira, disse:


- Afinal o “Gato escaldado não tem medo de água fria”.

5 comentários:

Berdades disse...

Nem da água nem da lama!

maria teresa disse...

Quer dizer que estão a construir novamente sobre a ribeira?
Abracinho

Ava disse...

A arrogância é tanta que as identidades competentes recusam-se sempre aprender com os seus próprios erros.

Um abraço da planície Alentejana, Ava.

AVOGI disse...

Que estupidez!! de nada serviu, mas como dizem os antigos "a agua o deu a agua o levou. esperemos que não aconteça mais nenhuma calamidade!!! Mas de nada serviu.

Anónimo disse...

A natureza segue o seu sábio curso.
Se não há medo d'água,
Se não se teme outras inundações,
Se não se teme mais percas de vidas...
volta-se a fazer tudo igual, é porque o "errado" está certo (para eles)!
Deixa-se cometer o mesmo erro é que o "espaço" vale ouro e temos de fazer a maior rentabilidade possivel a qualquer custo!

Vejam o exemplo da Marina do Lugar de Baixo!!! (todos os anos ondas forterrimas que danificaram a muralha em 4 aberturas, mas continua-se lá...)

Ouçam os "adágios" e as vozes do povo sábio!
Deixem a arrogância e prepotência para os "amigos".

"De 7 em 7 anos a Ribeira toma o que é seu" (sempre ouvi o meu pai dizer isto).
MFCC